Tratamento de Câncer de Pele com Cirurgia Precisa e Estética

Oferecemos o tratamento mais avançado e especializado para câncer de pele, combinando precisão cirúrgica com cuidado estético para assegurar a melhor recuperação possível. Nossa equipe, liderada pelo Dr. Marco Seferin, utiliza técnicas como a Cirurgia de Mohs para garantir a remoção completa do câncer enquanto preserva a aparência natural da pele.

Quem Pode se Beneficiar do Nosso Tratamento?

Nosso centro oncológico é dedicado a proporcionar cuidados excepcionais para uma variedade de pacientes. Descubra quem pode se beneficiar dos nossos tratamentos avançados para câncer de pele:

Pessoas com Diagnóstico Recente de Câncer de Pele

Se você acabou de ser diagnosticado com câncer de pele e está buscando a melhor opção de tratamento, nossa equipe especializada está aqui para oferecer as soluções mais avançadas e eficazes.

Pacientes Preocupados com Cicatrizes Pós-Tratamento

Se a preocupação com cicatrizes visíveis está impedindo você de buscar tratamento, nosso centro utiliza técnicas que minimizam os danos estéticos, proporcionando uma recuperação mais natural.

Indivíduos em Estágio Avançado de Câncer de Pele

Para aqueles que temem ter descoberto o câncer de pele tardiamente, oferecemos tratamentos avançados e acompanhamento contínuo para combater a doença de maneira eficaz.

Médicos Dermatologistas e Especialistas

Médicos e especialistas que desejam encaminhar seus pacientes para um tratamento oncológico de pele de ponta podem confiar na nossa equipe para proporcionar os melhores cuidados disponíveis.

Sobre o Câncer de Pele

O câncer de pele é o tipo mais comum de câncer e representa cerca de 33% de todos os casos de câncer diagnosticados no Brasil. A maior parte dos casos está relacionada com a exposição excessiva ao sol (radiação UV), porem outros fatores também estão envolvidos no seu desenvolvimento. Entre os principais tipos de câncer de pele, o carcinoma basocelular (CBC – mais comum) e o espinocelular (CEC), também chamados de câncer de pele não melanoma, possuem baixa letalidade, mas elevado número de casos. Em contrapartida o melanoma é o tipo mais raro e agressivo. O tratamento do câncer de pele depende do seu tipo, estágio e localização, porem todos devem ser diagnosticados e tratados precocemente para maiores taxas de cura.

A Cirurgia Micrográfica de Mohs

cirurgia micrográfica de Mohs ou cirurgia de Mohs, é uma técnica cirúrgica que permite elevada taxa de cura e uma maior preservação da pele saudável ao redor do tumor (redução da cicatriz). A cirurgia de Mohs é considerada a técnica padrão-ouro no tratamento dos principais tipos de cânceres cutâneos, o carcinoma basocelular (CBC) e o carcinoma espinocelular ou epidermóide (CEC), especialmente em áreas delicadas como a face, couro cabeludo, mãos e pés. E é a possibilidade de analisar 100% das margens cirúrgicas durante o procedimento que garante uma maior efetividade e diferencia a técnica das demais modalidades cirúrgicas.

Principais vantagens da
cirurgia de Mohs:

  • Maior taxa de cura: a técnica permite a análise de todas as margens cirúrgicas durante o procedimento, resultando em taxas de cura de até 99% para determinados tipos de câncer.
  • Preservação de tecido saudável: a cirurgia de Mohs preserva o máximo de pele saudável, minimizando cicatrizes e deformidades.

Por que Escolher o
Nosso Centro Oncológico?

Nosso centro oncológico oferece uma combinação única de expertise, tecnologia avançada e cuidados personalizados. Descubra as vantagens e benefícios que nos tornam a escolha ideal para o tratamento do câncer de pele.

Cirurgia de Mohs

Utilizamos a técnica mais avançada disponível atualmente para o tratamento do câncer de pele, que permite a remoção precisa do tumor enquanto preserva o máximo de tecido saudável.

Reconstrução Estética

Após a remoção do tumor, oferecemos técnicas avançadas de reconstrução para minimizar defeitos estéticos e garantir que você se sinta confiante com sua aparência.

Dermatoscopia

Oferecemos mapeamento digital da pele para identificar e monitorar lesões cutâneas, garantindo um diagnóstico preciso e acompanhamento contínuo.

Profissionais Altamente Qualificados

Nossa equipe é composta por cirurgiões e dermatologistas altamente qualificados com formação em instituições renomadas e experiência internacional.

Estrutura de Alto Nível

Contamos com uma infraestrutura moderna e equipada com as mais recentes tecnologias para proporcionar um ambiente seguro e confortável para nossos pacientes.

Conheça o Centro Oncológico e a Nossa Equipe

cirurgia micrográfica de Mohs ou cirurgia de Mohs, é uma técnica cirúrgica que permite elevada taxa de cura e uma maior preservação da pele saudável ao redor do tumor (redução da cicatriz). A cirurgia de Mohs é considerada a técnica padrão-ouro no tratamento dos principais tipos de cânceres cutâneos, o carcinoma basocelular (CBC) e o carcinoma espinocelular ou epidermóide (CEC), especialmente em áreas delicadas como a face, couro cabeludo, mãos e pés. E é a possibilidade de analisar 100% das margens cirúrgicas durante o procedimento que garante uma maior efetividade e diferencia a técnica das demais modalidades cirúrgicas.

Perguntas frequentes

Tire as suas Dúvidas

O câncer de pele é uma doença com altas chances de cura. Dentre todos os tipos de câncer do organismo é o que tem melhor resultado em termos de cura e sobrevida. No entanto, alguns fatores interferem no resultado do tratamento dessa doença. O diagnóstico e tratamento precoces são extremamente importantes. Outro fator que influencia é o tipo de câncer de pele, lembrando que o melanoma tem um prognóstico pior em relação aos tipos mais comuns de câncer de pele. Mesmo assim, a cirurgia bem realizada, com retirada total da lesão é fundamental.

O melhor tratamento para câncer de pele é a retirada da lesão pela cirurgia. A retirada completa da doença é sempre o objetivo do tratamento. A cirurgia a ser realizada vai depender da localização e do tipo de câncer de pele. Para algumas doenças na face, uma cirurgia reconstrutiva às vezes é também necessária. Ainda, para alguns tipos de câncer também é necessário avaliar as “ínguas” próximas a lesão e talvez removê-las.

A radioterapia é um tratamento de exceção. Para o tipo carcinoma basocelular, a radioterapia apresenta bons resultados e pode ser usada quando a cirurgia não é capaz de retirar todo o câncer ou onde a cirurgia se torna muito agressiva.

O melanoma pode ainda receber outros tipos de tratamento complementares como quimioterapia e imunoterápicos.

Como acontece em outros tipos de câncer, o tratamento do câncer de pele é multidisciplinar. Diferentes especialidades médicas atuam desde o diagnóstico até a cirurgia.  Mas, independentemente da especialidade médica, um cirurgião especialista em câncer e cirurgias reconstrutivas é fundamental para tratar o câncer de pele.

O tipo de cirurgia que será feita para remover o câncer de pele depende de vários fatores, como a localização da doença e o tipo de câncer de pele. 

A cirurgia considerada padrão-ouro para essa localização é chamada de cirurgia de Mohs, onde se avalia com microscópio todas as bordas da lesão retirada durante o próprio procedimento cirúrgico, permitindo maior certeza a respeito da retirada completa da lesão e evitando a retirada desnecessária de pele sadia, melhorando assim o resultado estético e funcional do tratamento.

Para alguns tipos de câncer de pele, como o carcinoma epidermóide e o melanoma, também é necessário a avaliação das “ínguas” ou linfonodos próximos à lesão. Por esse motivo, o cirurgião que trata esses tipos de câncer de pele, deve estar habituado a realizar a cirurgia dos linfonodos caso seja necessário.

O princípio fundamental da cirurgia para câncer de pele é a retirada total da lesão. Na maioria das vezes, esses tumores são retirados e a pele é fechada primariamente sem necessidade de reconstrução. Porém, alguns lugares como a face e alguns cânceres maiores exigem uma cirurgia reconstrutiva feita com retalho ou enxerto de pele após a retirada da lesão para obter um melhor resultado estético e funcional da área ressecada. A avaliação e a cirurgia dos linfonodos próximos à lesão chamada de linfadenectomia é importante para o carcinoma epidermóide e, principalmente, o melanoma. Nessa cirurgia, as ínguas ou linfonodos próximos ao tumor são retirados para evitar que a doença se espalhe para esses linfonodos.

A cicatriz da cirurgia de câncer de pele depende da quantidade de pele retirada. Para tumores menores normalmente o resultado estético é muito bom. Para tumores maiores ou que atinjam estruturas importantes da face, a reconstrução com retalho ou enxerto de pele melhora o resultado estético e funcional desses locais. Por esse motivo o cirurgião que realiza cirurgia para câncer de pele deve entender os princípios da cirurgia oncológica e, ao mesmo tempo, ter treinamento em cirurgia reconstrutiva da pele.

Todos os tipos de câncer podem voltar, incluindo o câncer de pele. A chance de recorrência depende de vários fatores, como o tipo de câncer, o estágio da doença, o local da lesão e do tratamento utilizado. O melanoma é o tipo de câncer de pele mais agressivo e com maior risco de voltar. A chance de recidiva depende do estágio da doença no momento do diagnóstico. O carcinoma epidermoide e o carcinoma basocelular, tipos mais comuns de câncer de pele, apresentam chances menores de recidiva se forem retirados completamente durante a cirurgia.

O risco de desenvolver câncer de pele depende da associação de fatores ambientais e genéticos. A radiação solar é o principal fator de risco ambiental. Dentre os fatores familiares, o tipo de pele herdado da família se destaca. As pessoas com pele mais clara apresentam um risco maior de desenvolvimento de câncer de pele por apresentarem menos melanina, o pigmento que protege a pele da radiação ultravioleta. Alguns tipos de câncer de pele também podem se desenvolver a partir de mutações genéticas familiares.

A dermatoscopia digital, também conhecida como mapeamento corporal ou mapeamento digital, é um exame não invasivo que utiliza tecnologia avançada para auxiliar no diagnóstico precoce de câncer de pele. Nesse exame, o dermatologista realiza registro fotográfico de toda a superfície da pele do paciente, utilizando câmeras de alta resolução. Isso permite identificar novas pintas e acompanhar a evolução das pintas já existentes ao longo do tempo. O mapeamento digital consegue um diagnóstico precoce e mais preciso do câncer de pele. Ele é indicado principalmente para pessoas com histórico familiar de câncer de pele, pessoas com muitas pintas no corpo ou pintas atípicas. O diagnóstico precoce do câncer de pele melhora o resultado e as chances de cura do tratamento.

Existem três tipos de câncer de pele. O carcinoma basocelular, o carcinoma espinocelular ou epidermóide e o melanoma.

O carcinoma basocelular ou CBC é o tipo mais comum de câncer de pele. Ele se desenvolve principalmente em áreas expostas ao sol. Cresce lentamente e é extremamente raro disseminar para outros locais do corpo. O tratamento ótimo é a retirada total da lesão com altas taxas de cura.

O carcinoma epidermóide ou CEC é o segundo tipo mais comum. Apresenta comportamento similar ao carcinoma basocelular, mas pode se disseminar para outros locais mais frequentemente. Por isso, o tratamento precoce é muito importante para manter boas taxas de cura.

O melanoma é o tipo mais agressivo de câncer de pele. A apresentação mais comum é uma mancha bem escura na pele. Pode acometer todas as regiões da pele, mas é mais comum em tronco, pernas e face. Felizmente, é o tipo mais raro, mas pode disseminar precocemente para outros locais do corpo se não tratado. A avaliação de um cirurgião especializado é necessária, pois muitas vezes a cirurgia para retirada dos linfonodos ou ínguas é necessária.

LOCALIZAÇÃO

Onde Estamos Localizados:

Av. Alberto Müller, 586 – Alto do Parque, Lajeado – RS

CENTRO ONCOLÓGICO DA PELE © Todos os Direitos Reservados, 2024.